22 de Nov de 2017
governo-atinge-cobertura-vacinal-de-96-67-contra-febre-aftosa-em-alagoas

Receberam a dose antiaftosa, na primeira etapa da campanha, 1.102.87 animais entre bovinos e bubalinos

Por: Igor
05 de Jul de 2017
36

O Governo de Alagoas, por meio da Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária de Alagoas (Adeal), anunciou uma cobertura vacinal contra a febre aftosa de 96,67% do rebanho de bovinos e bubalinos do Estado. De acordo com dados do Sistema de Defesa Agropecuária (Sidrago), de um rebanho vacinável de 1.140.09 animais, receberam a dose antiaftosa 1.102.87 cabeças.

Segundo a Adeal, foram comercializadas pelas revendas de produtos agropecuários do Estado 1.186.185 doses. Deste total, pouco mais de 102 mil foram vendidas durante os 15 dias de prorrogação da campanha.

A primeira etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa de 2017 foi realizada durante todo o mês de maio. Mas, em função das fortes chuvas ocorridas nas duas últimas semanas, a vacinação foi estendida até o dia 15 de junho.

A Adeal informou que as três Unidades Regionais de Sanidade Animal e Vegetal (URSAV) tiveram uma cobertura vacinal superior a exigida pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) que é de 80%. Em Arapiraca o índice foi de 95,41%; Santana do Ipanema 96,98% e em União dos Palmares 99,44%.

"O criador alagoano fez o papel dele, vacinando e declarando. Com isso, mais uma vez, mantivemos a cobertura vacinal acima da média do Ministério da Agricultura, preservando a sanidade do rebanho do nosso Estado”, declarou o presidente da Adeal, Rui Alves.

O criador que não vacinou e não declarou será notificado e autuado pelo órgão de defesa agropecuária, ficando impedido de retirar a Guia de Trânsito Animal (GTA), circular e ou comercializar os animais até que a situação seja regularizada junto a Adeal.

Já o secretário da Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura, Álvaro Vasconcelos, diz que o sucesso da campanha de vacinação contra a aftosa em Alagoas deve-se ao trabalho institucional realizado pelo governo, ao compromisso dos produtores com investimentos em vacinas e ao empenho dos técnicos da Seagri e da Adeal.

''Essa meta tem um grande significado para os criadores e para a população, já que o plantel de bovinos e bubalinos está imune e comprova mais uma vez que a meta, preconizada pelo Ministério da Agricultura, vem sendo cumprida durante o governo Renan Filho'', afirma Vasconcelos.

Segundo o gestor da Seagri, como ficou definido durante a reunião do Conselho Nacional de Secretários da Agricultura (Conseagri), a meta é que Alagoas fique livre da febre aftosa sem vacinação até 2020. 

 

Agência Alagoas


commentários

Create Account



Log In Your Account